terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Fechamento - Dezembro 2014

Atualização da carteira em 30/12/2014:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...


... teve uma desvalorização de -1,75% no mês (Ibovespa -8,62%)
... desvalorizou -2,82% no ano (Ibovespa -2,91%)
... tem uma rentabilidade histórica de -7,14%
... teve um crescimento do capital de 1,36% no mês
... tem um crescimento do capital de 36,13% desde janeiro de 2013.

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,82% (no ano, 6,25%; contando o lucro da venda das CMIG4, 8,12%)
Yield dos FII no mês: 0,53% (no ano, 8,75%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 7,58%)
Yield em dezembro: 0,70% (no ano, 6,63%; contando o lucro da venda das CMIG4, 8,12%)

Já a divisão da carteira ficou assim:




Ações:
CMIG3   19,55% 
VALE5   15,14% 
ABEV3   10,30% 
CIEL3     10,50% 
CRUZ3     9,43% 
ELPL4      9,54% 
ETER3      7,68% 
GRND3   10,24%
ITUB3       7,62%

FII:
XPGA11   56,77% 
BCFF11b 43,23%


TD:
NTN-F 010121 72,83% 
NTN-F 010123 23,81% 
NTN-F 010125   3,36%



Adeus ano velho... feliz ano novo...

Mais um ano que termina. E 2014, assim como 2013, foi um ano de rentabilidade negativa tanto para a bolsa quanto para a minha carteira.


Motivo para me chatear? Na verdade, não. Após 7 longos anos lidando com RV, finalmente consigo enxergar a tão falada bola de neve se movendo e me ajudando a acelerar o ritmo de acumulação de patrimônio.

Como o resumo do ano já será feito no post que trata do planejamento da carteira, vamos falar sobre dezembro.

O aporte do mês foi mesmo todo para Itaú. Com isso, estou muito próximo de concluir mais uma etapa no rebalanceamento da carteira de ações.

Com relação aos proventos, minha carteira foi agraciada com créditos de XPGA11 (R$0,70/cota), BCFF11b (R$0,47/cota) e Cemig (0,87/ação).

Para janeiro já tenho confirmados proventos de Ambev (R$0,11/ação*). Ainda espero receber proventos de XPGA11 e de BCFF11b. Ainda tenho a receber o valor da minha previdência complementar, cuja retirada solicitei em dezembro. Tudo isso será reinvestido em ações.

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Também em janeiro recebo o valor dos cupons dos títulos do TD, mas esse valor será destinado à reaplicação em mais NTN-Fs.

Em 2015 pretendo recomeçar a comprar FIIs, mas é provável que faça isso apenas no segundo semestre.

Bom, era isso. Desejo a todos um próspero 2015, com muita saúde, paz e que todos os nossos objetivos se realizem!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Proventos e Investimentos - Dezembro 2014

Como havia comentado no fechamento de novembro, por problemas alheios à minha vontade não pude investir o aporte do mês passado.

Felizmente a normalidade retornou em dezembro, reforçada pelas boas novas decorrentes desses mesmos transtornos - leia-se mais dinheiro para aportar.

E isso acontece num momento de verdadeiro pânico no mercado brasileiro. Problemas à vista? 

Não sei vocês, mas por ter no currículo a crise de 2008, posso adiantar que o melhor conselheiro nessas horas é o planejamento. E o pior, com certeza, é o medo/inércia. 

Por isso mesmo, sigo comprado/comprando; se tudo der errado, o pior que pode acontecer é ter de aportar por mais tempo.

Quanto aos proventos recebidos no mês, segue relação:

FII (dividendos)

- BCFF11b: R$0,47/cota;
- XPGA11: R$0,70/cota.

Yield de 0,53% no mês.

Ações (dividendos e JCP)

- CMIG3 0,87/ação

Yield de 0,84% no mês.

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Com relação aos aportes, o de novembro foi todo utilizado para a compra de Itaú, meu 9º ativo da carteira; já o de dezembro provavelmente será utilizado para comprar também Vale, Eternit e, talvez, o 10º ativo. Existe também a possibilidade de me antecipar ao pagamento dos juros dos NTN-Fs em janeiro, comprando este valor ainda em dezembro e recebendo um pouco mais nos cupons.

Não descarto possibilidade alguma, e a decisão será tomada assim que estiver com o dinheiro no bolso.

Bom, era isso. Desejo um bom final de ano a todos!

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Nova ação na carteira: Itaú Unibanco (ITUB3)


Como já havia explicado em posts anteriores, possuo um objetivo bem claro para 2014: diversificar a carteira de ações.

Aproveitando uma contingência de mercado, a saber, o clima de medo instaurado no mercado brasileiro pela possibilidade de tributação dos dividendos e extinção do JCP por parte do Governo Federal (sempre ele), bem como o restabelecimento da minha internet, adicionei as primeiras ações da Itaú Unibanco Holding S/A (ITUB3) à carteira de Renda Variável.

Optei por esta ação em detrimento das demais por considerar essencial posicionar a carteira também no setor financeiro e, dentro deste setor, optei pela empresa que, a meu ver, apresenta os melhores fundamentos.

Aproveito para tecer um adendo... 

Particularmente, não me preocupa esta ameaça de (bi)tributação dos lucros das empresas. O que me preocupa mesmo é da discussão girar em torno de qual tributo será criado/onerado ao invés do Governo procurar meios de reduzir a nossa já escorchante carga tributária.

Que a oposição e a imprensa livre façam sua parte e botem a boca no trombone: chega de mais impostos! Se o Governo quer fazer mais, que corte seus excessos. Meu bolso agradece.

Uma boa semana a todos!

sábado, 29 de novembro de 2014

Fechamento - Novembro 2014

Atualização da carteira em 28/11/2014: 


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...
... teve uma valorização de 2,01% no mês (Ibovespa 0,07%)
... desvalorizou -1,12% no ano (Ibovespa 6,13%)
... tem uma rentabilidade histórica de -5,65%
... teve um crescimento do capital de 2,86% no mês
... tem um crescimento do capital de 34,30% desde janeiro de 2013.

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,62% (no ano, 5,71%; contando o lucro da venda das CMIG4, 7,68%)
Yield dos FII no mês: 0,52% (no ano, 8,22%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 7,58%)
Yield em novembro: 0,54% (no ano, 6,17%; contando o lucro da venda das CMIG4, 7,72%)

Já a divisão da carteira ficou assim:





Ações:
CMIG3  21,31% 
VALE5  16,05% 
ABEV3  10,82% 
CIEL3    11,29% 
CRUZ3  10,20% 
ELPL4   10,42% 
ETER3     8,14% 
GRND3  11,77%


FII:
XPGA11   57,13% 
BCFF11b 42,87%


TD:
NTN-F 010121 72,74% 
NTN-F 010123 23,89% 
NTN-F 010125   3,37%


Antes de mais nada, peço desculpas pela ausência. Minha vida pessoal virou do avesso neste mês que passou e uma das consequências disso foi passar o mês sem PC pessoal e acesso decente à internet.

Disso a deixar o blog sem atualizações, bem como o dinheiro do aporte dormindo na C/C foi moleza. Mas, felizmente, os problemas estão diminuindo e em dezembro tenho esperanças de tudo voltar à normalidade.

Voltando ao que interessa... em outubro foram divulgados balanços de algumas das empresas que compõem a minha carteira: Souza Cruz (+376M), Grendene (+126M), Cielo (+817M), Vale (-3,38B) e Ambev (+2,89B). Em novembro foi a vez de Cemig (+29M), Eternit (+20M) e Eletropaulo (+131M).

Com relação aos proventos, minha carteira foi agraciada com créditos de XPGA11 (R$0,70/cota), BCFF11b (R$0,44/cota), CRUZ3 
(R$0,014/ação*), Ambev (R$0,22/ação), Eternit (R$0,095/ação*), Eletropaulo (R$0,43/ação) e Grendene (R$0,178/ação).

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.


Para dezembro já tenho confirmados proventos de XPGA11 (R$0,70/cota) e de Cemig (R$0,87/ação). Ainda espero receber alguma coisa de BCFF11b, parte do 13º, abono e o que mais vier, de forma que, somando tudo isso ao aporte deste mês e do mês passado, eu compense com juros e correção o mês perdido que foi novembro. 

As compras serão, provavelmente, Vale, Eternit e do 9° ativo - que em novembro seria Itaú. Vou analisar as possibilidades e, assim que me decidir, aviso para vocês.

Quanto às compras de FII e TD, estas seguem congeladas até segunda ordem.

Bom, era isso. Desejo a todos um excelente mês de dezembro!

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Fechamento - Outubro 2014

Atualização da carteira em 31/10/2014:


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...
... teve uma desvalorização de -1,97% no mês (Ibovespa 0,95%)
... desvalorizou -3,09% no ano (Ibovespa 6,06%)
... tem uma rentabilidade histórica de -7,57%
... teve um crescimento do capital de 0,20% no mês
... tem um crescimento do capital de 30,57% desde janeiro de 2013.

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,63% (no ano, 5,09%; contando o lucro da venda das CMIG4, 7,06%)
Yield dos FII no mês: 0,49% (no ano, 7,70%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 7,58%)
Yield em outubro: 0,55% (no ano, 5,63%; contando o lucro da venda das CMIG4, 7,18%)

Já a divisão da carteira ficou assim:







Ações:
CMIG3  22,13% 
VALE5  17,65% 
ABEV3  10,75% 
CIEL3    10,66% 
CRUZ3  10,17% 
ELPL4     7,95% 
ETER3     8,53% 
GRND3  12,18%


FII:
XPGA11   57,83% 
BCFF11b 42,17%


TD:
NTN-F 010121 72,82% 
NTN-F 010123 23,83% 
NTN-F 010125   3,35%




Em outubro foram divulgados balanços de algumas das empresas que compõem a minha carteira Souza Cruz (+376M), Grendene (+126M), Cielo (+817M), Vale (-3,38B) e Ambev (2,89B). Fico no aguardo dos balanços de Cemig, Eternit e Eletropaulo.

Com relação ao aporte, adquiri Ambev, Cielo, Souza Cruz e Eletropaulo no começo de outubro e imprevistos me impediram de fazer novas compras na segunda metade do mês. Espero que em novembro a situação se normalize e eu possa compensar o aporte menor.

Também tenho perspectiva de receber em novembro proventos de XPGA11 (R$0,70/cota), BCFF11b, CRUZ3 (R$0,014/ação*), Ambev (R$0,22/ação), Eternit e Grendene (R$0,178/ação).

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.



As eleições/balanços deram um jeitinho de desequilibrar a carteira novamente. Assim, o dinheiro represado de outubro + aporte + proventos serão destinados ao rebalanceamento da carteira e à compra do 9º ativo assim que tudo se resolva na minha vida pessoal.

Quanto às compras de FII e TD, estas seguem congeladas até segunda ordem.

Bom, era isso. Desejo a todos um excelente mês de novembro!

sábado, 18 de outubro de 2014

Proventos e investimentos - Outubro 2014

A montanha russa das cotações continua a todo vapor na renda variável. Minha carteira, mais uma vez, segue correndo atrás do Ibovespa.

Quanto aos proventos recebidos no mês, segue relação:

FII (dividendos)

- BCFF11b: R$0,38/cota;
- XPGA11: R$0,70/cota.

Yield de 0,49% no mês.

Ações (dividendos e JCP)

- CRUZ3: R$0,42/ação*;
- VALE5: R$0,89/ação*.

Yield de 0,63% no mês.

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Como já havia mencionado no fechamento de setembro, para este mês eu ainda conto com o reforço dos proventos pagos no final do mês passado (Cemig + Cielo) e também com o pagamento da participação dos lucros da empresa onde trabalho.

Assim sendo, aproveitei o dinheiro disponível em caixa e, logo no começo do mês, saí às compras: adquiri Ambev, Cielo, Souza Cruz e Eletropaulo, o que deixou praticamente pronto o balanceamento da minha carteira.

Agora fico no aguardo do restante dos valores - provavelmente, perto do final do mês - para concluir definitivamente a fase dos 8 ativos e partir novamente às compras. As candidatas mais fortes continuam as mesmas, a saber:

CCRO3, NATU3, PSSA3 e SBSP3.

Existem outras empresas que eu tenho interesse em investir, em setores que minha carteira ainda não cobre, como alimentos e setor financeiro, por isso vou continuar meus estudos e deixar para escolher o 9º ativo somente com o dinheiro do aporte na conta.

Para finalizar, reitero meu interesse em prosseguir com o investimento em TD e FII, mas ele só será novamente cogitado em 2015. 

Bom, era isso. Uma boa segunda metade de outubro a todos!

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Fechamento - Setembro 2014

Atualização da carteira em 30/09/2014:


Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...
... teve uma desvalorização de -7,3% no mês (Ibovespa -11,7%)
... desvalorizou -1,17% no ano (Ibovespa 5,06%)
... tem uma rentabilidade histórica de -5,83%
... teve um crescimento do capital de -4,44% no mês
... tem um crescimento do capital de 30,3% desde janeiro de 2013.

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio de compra dos ativos):

Yield das ações no mês: 0,60% (no ano, 4,52%; contando o lucro da venda das CMIG4, 6,52%)
Yield dos FII no mês: 0,49% (no ano, 7,2%)
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 7,58%)
Yield em setembro: 0,52% (no ano, 5,09%; contando o lucro da venda das CMIG4, 6,66%)

Já a divisão da carteira ficou assim:







Ações:
CMIG3  21,84% 
VALE5  19,11% 
ABEV3   9,93% 
CIEL3     9,64% 
CRUZ3   9,50% 
ELPL4    8,87% 
ETER3   9,50% 
GRND3 11,61%


FII:
XPGA11   58,41% 
BCFF11b 41,59%


TD:
NTN-F 010121 72,86% 
NTN-F 010123 23,80% 
NTN-F 010125   3,34%


Para resumir: este foi o pior resultado mensal desde que comecei a divulgá-la periodicamente por aqui.

Ninguém gosta de perdas, mas elas fazem parte do aprendizado. De toda forma, sigo focado nos meus objetivos, tanto financeiros quanto pessoais.

Aproveito o adendo para contar algo que aconteceu no começo das minhas férias...

Fazia tempo que queria ver bem certinho o que eu tinha e o que me faltava da papelada que geralmente é cobrada para tomar posse em concurso público. Com o tempo livre que ganhei, resolvi folhear os editais dos cargos que tinha sido aprovado e relacionei/conferi os documentos necessários.

Para minha surpresa, não tinha mais o histórico escolar do Ensino Médio, apenas uma fotocópia de um xérox autenticado em cartório.

Corri solicitar um histórico novo, claro. Semana que vem o terei em mãos.

Assim, fica a dica para os colegas concurseiros: precisa estudar pra passar, ter um bom método de estudo, muita persistência? Sim, precisa de tudo isso... mas num país burocrático como o nosso não é razoável descuidar da papelada. Do contrário, corre-se o risco de tamanho esforço ser em vão.

Mas voltando à carteira: as compras do mês foram Vale e Eletropaulo, como forma de se fazer o devido rebalanceamento. O dinheiro utilizado foi basicamente o do aporte complementado com o adiantamento das minhas férias. 

Houve também o desdobramento de Eternit (2:1) neste período. Quanto às consequências disso para a cotação da empresa, só o tempo dirá se foi bom ou ruim para os seus acionistas.

Para outubro tenho perspectiva de receber proventos de XPGA11, BCFF11b, CRUZ3 (R$0,42/ação*) e VALE5 (US$0,40/ação**).

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.
**valor a ser convertido pela PTAX do dia 15/10.

Também tenho a expectativa de receber minha participação dos lucros juntamente com o salário deste mês. 

Além disso, ainda tenho de alocar os proventos de Cielo e de Cemig pagos hoje.

Esse dinheiro + aporte continuarão sendo destinados ao rebalanceamento da carteira, que por sinal está quase no fim. Caso sobre, é bastante provável que comece (finalmente!!) a investir no 9° ativo ainda este mês.

Quanto às compras de FII e TD, estas seguem congeladas até segunda ordem.

Bom, era isso. Desejo a todos um excelente mês de outubro!

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Proventos e Investimentos - Setembro 2014

Ontem era Carnaval; hoje, meio de setembro. Estamos em 2014 e logo será 2015 mas, na minha cabeça, a matemática do tempo está lá por 2008... 2010...

Mas vejamos pela metade cheia desse copo também metade vazio: mais alguns dias úteis e começam minhas férias. E aí, espero, os dias serão um pouco mais longos que os atuais.

Tirando as expectativas desses merecidos dias de descanso/descontração, uma certeza: o aporte deste mês será um pouco maior quando comparado aos meses anteriores. É um alento. E um incentivo. 

Com relação à carteira, ela está rendendo -4,64% em setembro, o que a deixa numa posição mensal um pouco melhor que a do Ibovespa (-7,12%). No anual, sigo levando um banho do índice (1,87% contra 10,52% do índice).

Quanto aos proventos a serem recebido no mês, segue relação:

FII (dividendos) 

- BCFF11b: R$0,39/cota;
- XPGA11: R$0,70/cota. 

Yield de 0,49% no mês.

Ações (dividendos e JCP)

- Cielo: R$0,67/ação*;
- Cemig: R$0,48/ação;
 
Yield de 0,60% no mês.

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente. 

Finalmente, com relação ao aporte, os proventos + o dinheiro novo serão destinados para Vale. Caso sobre algum, aportarei nas demais ações da carteira. As compras de FIIs, TD e de um novo ativo ficarão mesmo para outubro.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Fechamento - Agosto 2014

Atualização da carteira em 29/08/2014:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...  
 ...teve uma valorização de 2,49% no mês. (Ibovespa 9,78%) 
...valorizou 6,82% no ano. (Ibovespa 18,99%) 
...tem uma rentabilidade histórica de 1,63%. 
...teve um crescimento do capital de 3,74% no mês. 
...tem um crescimento do capital de 36,36% no período. 

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio dos ativos): 

Yield das ações no mês: 1,01% (no ano, 4,03%; contando o lucro da venda das CMIG4, 6,07%) 
Yield dos FII no mês: 0,54% (no ano, 6,71%) 
Yield do TD no mês: 0% (no ano, 7,58%) 
Yield em agosto: 0,84% (no ano, 4,71%; contando o lucro da venda das CMIG4, 6,31%) 

Já a divisão da carteira ficou assim: 





Ações:      
CMIG3    25,51% 
VALE5    17,43% 
ABEV3     9,36% 
CIEL3       9,39% 
CRUZ3     9,39%  
ELPL4      9,22%  
ETER3      9,40%  
GRND3   10,30% 

FII: 
XPGA11    58,22%  
BCFF11b  41,78%
 
TD:   
NTN-F 010121 72,62% 
NTN-F 010123 23,99% 
NTN-F 010125   3,39%  


Mesmo sentindo muita alegria pela rentabilidade histórica ter, finalmente, ficado acima da linha d'água, bateu certa vergonha de comparar o rendimento da carteira com o Ibovespa esse mês.

O resultado só não foi pior porque resolvi fazer uma troca na carteira: saiu Natura, entrou Cielo (1:1). Com isso (lucro da venda + proventos anunciados pela Cielo) a minha renda passiva garantida para 2014 subiu para 8% do montante acumulado até 31/12/2013.

Com o dinheiro que sobrou desta troca + aporte + proventos, comprei também Souza Cruz, Ambev e Eternit este mês. Aos poucos as ações vão encontrando o seu peso ideal na carteira.

Para setembro, tenho perspectiva de receber proventos de XPGA11 (R$0,70/cota), BCFF11b (R$0,39/cota), Cielo (R$0,67/ação*) e Cemig (R$0,48/ação).

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Esse dinheiro + aporte + férias (sim, férias \o/) serão alocados no rebalanceamento da carteira.

Com relação ao 9º ativo, sua compra ficou para outubro. O rol de candidatas segue o mesmo, apenas troquei Cielo por Natura.

Quanto às compras de FIIs e de TD, estas ficaram para 2015.

Bom, era isso. Um excelente mês de setembro a todos!

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

(Off-topic) "Sabe com quem você está falando?"

Quem nunca ouviu esta frase, não é mesmo?

Caso não saiba o que responder, eis a brilhante resposta criada pelo filósofo brasileiro Mario Sergio Cortella:




Aproveitando (1), usei o dinheiro do aporte para comprar Souza Cruz e Ambev.

Aproveitando (2), troquei minhas ações da Natura por ações da Cielo (1:1).

Uma boa semana a todos!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Proventos e Investimentos - Agosto 2014

Agosto é conhecido por ser um mês de má sorte. Para alguns, ele é lembrado como mês do cachorro louco; para outros, o período do ano onde tudo que tiver de dar errado, dará.

De fato, vários acontecimentos negativos se deram em agosto. Destaco os mais conhecidos: o início da Primeira Guerra Mundial (01/08) e os ataques nucleares a Hiroshima (06/08) e Nagasaki (09/08).

Mas... e ai: devemos nos preocupar com isso? Eu pensava que não até ser bombardeado pelo noticiário de hoje. Difícil não culpar a (má)fama do mês em momentos como este.

Muitos questionamentos surgem em decorrência do acidente que vitimou o ex-Governador Eduardo Campos e mais 6 pessoas, mas não me considero suficientemente qualificado para apontá-los - que dirá tentar respondê-los...

Tudo que posso fazer aqui é demonstrar minhas sinceras condolências às famílias enlutadas, torcer pela rápida recuperação dos feridos e desejar que providências sejam tomadas para que este tipo de acidente nunca mais se repita.

Deixando esse assunto um pouco de lado, passo a tratar da carteira.

Continuando com o acompanhamento dos resultados trimestrais, foram divulgados os números da Eletropaulo (-355M), da Eternit (+19M) e da Cemig (+741M). 

Comentário que posso fazer com relação aos números? Vida que segue.

Minha carteira está rendendo até aqui 0,30% em agosto, abrindo uma pequena vantagem do Ibovespa este mês (-0,44%). No anual, segue uma lavada pró Bovespa (4,53% contra 7,91% do índice)


Segue a lista dos proventos para o mês:

FII (dividendos) 

- BCFF11b: R$0,49/cota;
- XPGA11: R$0,70/cota. 

Yield de 0,54% no mês.

Ações (dividendos e JCP)

- Souza Cruz: R$0,01/ação*;
- Natura: R$0,59/ação*;
- Ambev: R$0,14/ação*;
- Grendene: R$0,09/ação;
- Eternit: R$0,19/ação*.
 
Yield de 0,37% no mês.

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente. 


Com relação ao aporte, os proventos foram direcionados para Souza Cruz. O dinheiro novo, provavelmente, seguirá o mesmo destino.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Fechamento - Julho 2014

Atualização da carteira em 31/07/2014:

Com base na planilha de cotas do AdP, a carteira...
...teve uma valorização de 2,63% no mês. (Ibovespa 5%) 
...valorizou 4,28% no ano. (Ibovespa 8,39%) 
...tem uma rentabilidade histórica de -0,85%. 
...teve um crescimento do capital de 3,87% no mês. 
...tem um crescimento do capital de 31,44% no período. 

Com relação aos proventos (calculados pelo preço médio dos ativos): 

Yield das ações no mês: 0,93% (no ano, 3,13%; contando o lucro da venda das CMIG4, 5,25%) 
Yield dos FII no mês: 0,78% (no ano, 6,16%) 
Yield do TD no mês: 4,23% (no ano, 7,58%) 
Yield em julho: 1,3% (no ano, 3,98%; contando o lucro da venda das CMIG4, 5,62%) 

Já a divisão da carteira ficou assim:






Ações:      
CMIG3    25,87% 
VALE5    20,34% 
ABEV3     9,12% 
CRUZ3     8,66%  
ELPL4      9,71%  
ETER3      9,33%  
GRND3     8,74% 
NATU3      8,23%

FII: 
XPGA11    59,32%  
BCFF11b  40,68%
 
TD:   
NTN-F 010121 72,82%  
NTN-F 010123 23,84% 
NTN-F 010125   3,34%

Terminada a Copa, o país respira eleições. Não importa o que você decida assistir, ouvir ou ler, certamente se deparará com notícias a respeito das 'chances reais' dos candidatos, suas 'estratégias' de campanha, prognósticos - e reclamações as mais diversas - acerca das pesquisas eleitorais... Isso tanto no âmbito nacional quanto no estadual.


Nada contra quem goste, eu particularmente não sou fã de política, por dois motivos. Em primeiro lugar, acho deplorável e pouco republicana a forma adotada no Brasil para se eleger nossos deputados e vereadores. Exemplos disso vocês podem ver aqui, aqui e aqui

Não obstante, toda esta luta por um lugar no nosso parlamento - e até a quantidade de vagas existentes nele - não se reflete na atuação dos nossos parlamentares. Na maioria das vezes a atuação de Suas Excelências é irrelevante, quando não beira o ridículo.

Falando em bizarrices, a Mundo Estranho fez uma lista com as leis mais estranhas do Brasil. Para quem se interessar, basta clicar aqui.

Por essas e outras, estou deixando a campanha eleitoral de lado e prestando mais atenção no meu trabalho, nos meus estudos e nos meus investimentos, com especial atenção à nova rodada de balanços trimestrais. 

Até o momento já foram apresentados os números de Natura (+177M), Grendene (+70M), Souza Cruz (+393M), Ambev (+2,21B) e Vale (+3,09B).

Em agosto, ainda serão apresentados os números de Eletropaulo (06/08), Eternit (07/08) e Cemig (14/08).

Até aqui os resultados vêm escancarando a dura realidade da nossa economia, mas nada desesperador. Sigo confiante nas empresas escolhidas e satisfeito com os rumos tomados por suas respectivas administrações.

Com relação ao fluxo de caixa, tenho perspectiva de receber proventos de XPGA11, BCFF11b, Souza Cruz, Natura, Grendene e Ambev. Esse dinheiro + aporte servirá para continuar o rebalanceamento do 8º ativo e, talvez, a compra do 9º.

Candidatas:  CIEL3, PSSA3, SBSP3, HGTX3 e CCRO3.

Quanto às compras de FIIs e de TD, elas seguem suspensas até que se conclua o rebalanceamento da RV.

Bem, era isso. Desejo a todos vocês um ótimo mês de agosto!

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Proventos e Investimentos - Julho 2014

É surpreendente como as pessoas fazem exatamente o contrário do que manda a lógica. 

Em 2014 o Ibovespa acumula uma alta superior a 6%, dando sinais claros de recuperação. Mesmo assim, a debandada de CPFs só em 2014 já passa de 28 mil. 4 mil só mês passado...

E o que isso muda para os que permanecem? Espero eu que nada, uma vez que julho, e consequentemente o segundo semestre, começou muito bem.

Minha carteira está rendendo até aqui 3,02%, um empate técnico com o Ibovespa, que rende 3,04% até o fechamento de hoje (11/07). 

Segue a lista dos proventos para o mês:

FII (dividendos) 

- BCFF11b: R$0,70/cota;
- XPGA11: R$1,00/cota. 

Yield de 0,78% no mês.

Ações (dividendos)

- Cemig: R$0,87/ação

Yield de 0,93% no mês.

Tesouro Direto (cupons) 

Yield de 4,23%* no mês.

*valores líquidos, já descontado o IR correspondente.

Com relação ao aporte, ele foi dividido da seguinte forma:

Compra de NTN-F 010125 com os proventos decorrentes do TD;

Compra de ABEV3, ETER3 e GRND3 com o valor da restituição do IR + demais proventos recebidos do mês e algum dinheiro novo;

Compra de NATU3 com o dinheiro do aporte, ao final do mês.

Bom, era isso. Um bom final de semana a todos!

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Planejamento da carteira - controle, projeção e plano de ação para o segundo semestre 2014

Desde que estabeleci objetivos para o meu dinheiro, janeiro e julho deixaram de ser meros meses de balanço; eles passaram a ser mais importantes do que isto.


O fechamento do semestre passou a ser um ponto de chegada/partida importante para a análise do planejamento estabelecido. E como já expus aqui e aqui, a pergunta que me faço nestas horas é "como estou me saindo?"

Eis a resposta atualizada, tendo por base os dados do 1° semestre de 2014:

Ganhos/Gastos (comparação com 2013)

                            (1° sem)        (2° sem)         (anual)
▲% dos Ganhos: +
7,07%         -2,36%         +1,76%
▲% dos Gastos:   -4,07%         -11,33%         -6,83%

Proporção dos Gastos com relação aos Ganhos :

             (1º sem)       (2° sem)        (anual)  
2014      43,45%        20,35%         30,82%*
2013      48,49%        22,37%         33,58%
2012      45,91%        15,52%         27,45%
2011      67,71%        24,09%         40,11%
2010      66,53%        30,70%         44,55%
2009      80,14%        34,32%         51,25%
*projeção


Meta: 30%

Aportes - proporção dos Aportes com relação aos Ganhos:

            (1º sem)      (2° sem)       (anual)
2014     45,53%        65,00%*      55,00%*
2013     34,04%        65,88%       52,60%
2012     42,67%        67,89%       56,12%
2011     16,89%        67,45%       48,36%
2010     26,80%        61,16%       46,93%
2009     14,36%        59,37%       45,18%
*projeção

Renda Passiva (Yield) da Carteira:

2014       4,87%*
2013      11,82% 
2012       9,17%
2011       7,52%
2010       5,00%
2009       8,89%
*1° semestre, somente. Para o ano já estão garantidos proventos da ordem de 6,99%


Meta: 10%

Uma vez apresentados os resultados, passo a comentá-los.

Com relação aos Ganhos:


- recebi uma indenização e um aumento de salário, o que  incrementou consideravelmente as entradas do 1º semestre.
- os números do 2º semestre são negativos porque nele não foram inseridas rendas consideradas de caráter extraordinário (na dúvida, arredondei para baixo).

Com relação aos Gastos:
 

- aqui não teve nada de malabarismo, apenas um gasto mais eficiente; consegui aliar uma redução nas despesas com a manutenção na qualidade de vida.
- com um pouco de empenho, ou então com um pequeno aumento da renda, conseguirei manter meus Gastos dentro dos 30% dos Ganhos (percentual que considero ideal) em 2014.  
- lembrando que este cenário pode sofrer alterações no caso de ser chamado num dos concursos em que aguardo nomeação (num primeiro momento haverá aumento de rendas e, principalmente, de despesas).

Com relação aos Aportes:

- o planejamento aqui mostrou seu valor; nos primeiros 6 meses do ano pude aportar o valor preestabelecido sem prejudicar meu orçamento. 
- infelizmente não conseguirei maiores saltos neste quesito sem trocar de emprego. Sigo estudando e focando em outros cargos.

Com relação ao Yield:


- a meta de 10% segue possível, mas a cada ano fica mais difícil de ser alcançada. 
- em valores absolutos eu já garanti 79,14% dos proventos de 2013 e o valor creditado ainda foi capaz de cobrir a totalidade das despesas do 1° semestre (para ser exato, 101,03%).
- o cálculo do Yield aqui apresentado tem por base o patrimônio bruto do fechamento do ano anterior; já o Yield divulgado no fechamento mensal tem por base o patrimônio bruto do fechamento do mês em questão.


Analisadas essas 4 variáveis, passo a fazer mais alguns esclarecimentos.
 
A meta de crescimento da carteira para 2014 é mesma dos anos anteriores: 30%. No primeiro semestre ela cresceu 9,35%.
 
A divisão dos ativos para 2014 ficou estabelecida em 70% Ações, 15% TD e 15% FII. Devido às circunstâncias, o percentual de FII continuará sendo prejudicado pela necessidade de prosseguir o rebalanceamento da carteira de ações.

Os aportes do primeiro semestre foram destinados para Grendene, Natura e Souza Cruz. Em janeiro houve também a troca das CMIG4 por CMIG3 e o reinvestimento dos cupons do TD em NTN-F 010123.

Para o segundo semestre comprei NTN-F 010125 com o dinheiro dos cupons e prossigo com o rebalanceamento da carteira de Ações (esta semana comprei Grendene e Eternit). Caso conclua este passo antes do final do ano, analisarei 2 possibilidades: voltar à carga em FIIs ou passar a aportar no 9º ativo da carteira de Ações.

Candidatas: CIEL3, PSSA3, SBSP3, HGTX3 e CCRO3.

Sim, eu estou ciente de que, ao optar por aportar exclusivamente em ações, aumentarei ainda mais a distorção com relação aos FIIs. Mas é um risco que o tamanho ainda reduzido do meu patrimônio, minha pouca idade e a ausência de dependentes me encoraja a correr neste momento.

Antes de encerrar, não posso deixar de comemorar a manutenção de um feito: minha renda passiva continua fazendo frente a todas as despesas, sejam elas fixas ou variáveis.

Sei muito bem que estou muito distante da IF... mas esta constatação traz a tranquilidade e também a confiança necessários para prosseguir com o planejamento, que é de longo prazo.

Desejo a todos um excelente segundo semestre! Que ele seja ainda melhor que o primeiro!